Ministério da Saúde - 2017

Doação de Sangue

Nosso pequeno adesivo, símbolo da campanha, gerou um impacto gigantesco: mais uma vez, quebramos recordes de conversa pelo Governo Federal.

DESAFIO

O Brasil tem cerca de 208 milhões de habitantes. Pouco menos de 2% já doou sangue. Destes doadores, quase metade só doou porque conhecia quem estava precisando. Como chamar a atenção das pessoas para um assunto que quase ninguém dá atenção, mas que faz a diferença na vida de tanta gente?

MECÂNICA

Na Semana Mundial de Doação de Sangue, durante as partidas do Campeonato Brasileiro, jogadores dos times que se enfrentavam entraram em campo com o adesivo da campanha no braço. Por ser um adesivo muito pequeno, mesmo com milhões de pessoas assistindo, quase ninguém percebeu. Mas após alguns instantes, revelamos a ação nos telões e emissoras de TV, chamando a atenção para um adesivo que fazia a diferença na vida de quem precisava de uma doação.

RESULTADOS

Rapidamente, a ação repercutiu nas redes sociais e foi comentada e compartilhada por milhares de pessoas, tornando-se um dos 10 assuntos mais comentados do trending topics no Twitter. Ao final da campanha, jogadores e torcedores de times rivais, celebridades e artistas aderiram a campanha e doaram sangue, registrando o momento e dando ainda mais visibilidade à causa.

PROBLEMA

Existem centenas de hemocentros em todo o país equipados com estrutura completa para receber doações de sangue. Mas todos os dias milhares de pessoas passam sem percebê-las.

IDEIA

Criamos mobiliários urbanos que mostram a importância de um doador na vida das pessoas. Ao se aproximarem, uma palavra acendia e a pessoa era surpreendida por uma mensagem sonora informando a distância do hemocentro mais próximo.

RESULTADO

Em 7 dias, mais de 752 mil pessoas foram impactadas e a frequência nos hemocentros foi 30% maior do que o normal.

PROBLEMA

No Brasil, estima-se que a cada 4 minutos uma nova pessoa precise receber uma doação de sangue. porém, boa parte dos doadores só costumam doar quando alguém conhecido precisa. então, Como alertar e conscientizar as pessoas sobre este número que não para de subir?

IDEIA

Em um dos principais shoppings de Brasília, criamos uma escada rolante especial com o nome real de 72 pessoas que esperam por uma doação de sangue. Ao ligar, o efeito era de uma lista de nomes que não parava de aumentar, conscientizando as centenas de pessoas que passavam diariamente pelo local.

+5.6K IMPRESSÕES

+210K COMPARTILHAMENTOS

1.85M PESSOAS
IMPACTADAS

+1500 SEGUIDORES

+198% INTERAÇÕES COM O PERFIL DO MINISTÉRIO DA SAÚDE

Mais Cases

CASE ANTERIOR
PRÓXIMO CASE