Ministério da Cidadania - 2020

Violência Doméstica

O Isolamento social ajudou a diminuir os casos de Covid-19, mas aumentou os de violência doméstica, em especial contra crianças, mulheres, idosos e pessoas com deficiência. A Fields ajudou o Ministério da Mulher, da família e dos Direitos Humanos, em parceria com o Ministério da Cidadania, a alertar sobre o assunto e incentivar a sociedade a denunciar.

INTRODUÇÃO

Durante o isolamento social, muitas vítimas da violência doméstica estão convivendo 24 horas com seus agressores, tornando a denúncia e o pedido de socorro ainda mais difíceis.

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, em parceria com o Ministério da Cidadania, se uniram em uma campanha de Conscientização e Enfrentamento à Violência Doméstica na Pandemia da Covid-19.

IDEIA

A campanha busca sensibilizar e despertar o sentido de alerta nas pessoas, sobretudo nos vizinhos, para denunciarem. Com o conceito “Denuncie a violência doméstica. Para algumas famílias, o isolamento está sendo ainda mais difícil”, o filme mostra um garoto em seu quarto que, em um primeiro momento, parece estar mandando uma mensagem de vídeo para seus seguidores sobre o que tem feito durante a quarentena. Porém, a partir de um determinado momento, ele começa a mostrar alguns cartazes com mensagens de socorro que revelam uma assustadora realidade. De forma específica, cada peça mostra os principais públicos em seus quartos segurando mensagens de ajuda, enquanto uma sombra, que faz referência aos seus agressores, os observa. Em todas as peças são divulgados todos os canais de denúncia para que a queixa possa acontecer de forma segura e anônima, ajudando a combater essa triste realidade que acontece em milhares de lares brasileiros.

CONTEXTO

As experiências vividas em dias de confinamento por países da Ásia e da Europa apontaram para o risco de crescimento da violência doméstica  em períodos de isolamento e momentos de alta pressão social, o que pode agravar a violação de direitos humanos em todo o país. Alguns grupos precisam de um olhar diferenciado de toda a sociedade em razão de sua alta vulnerabilidade, como mulheres, crianças, idosos e pessoas com deficiência. Não diferentemente do que aconteceu em outras localidades do mundo, a imprensa brasileira evidenciou essa triste realidade também no Brasil. Alinha-se ao fato que a convivência intensa com o agressor pode dificultar a denúncia, por parte da vítima, conforme relataram vítimas de violência em diversos países. Nesse sentido, era preciso que a campanha sensibilizasse e, acima de tudo, envolvesse a sociedade, com o objetivo de interromper situações de violência doméstica ao despertar solidariedade, empatia, ação e união.

RESULTADO

A Campanha de Conscientização e Enfrentamento à Violência Doméstica durante a Pandemia da Covid-19, cumpriu os propósitos preestabelecidos, pois, avaliando os esforços de mídia e os resultados obtidos de alcance e frequência nos mercados e meios pesquisados, pode-se confirmar que a campanha atingiu os objetivos de mídia do planejamento inicialmente aprovado. Dessa forma, uma vez que o número médio de vezes considerado eficiente para a compreensão e retenção da mensagem gira em torno de 3, para essa campanha foi atingido um número próximo de 4 para o meio TV, possibilitando maior visualização da mensagem no target do briefing, e próximo a 2 vezes para o meio internet. A campanha alcançou mais de 32 milhões de pessoas, gerou mais de 87 milhões de impactos, com uma frequência 3+.

+32 MILHÕES

Alcance de pessoas

+87 MILHÕES

Impactos de pessoas

3+

Frequência média

Mais Cases

CASE ANTERIOR
PRÓXIMO CASE